JRA – Jovens Repórteres para o Ambiente – ARQUIVO

Ano letivo 2012/2013
 JRA investigam como escolher com a Etiqueta Energética


OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA








No passado dia 22 de Janeiro, o grupo dos Jovens Repórteres do Ambiente da Escola E.B, 2,3 Fernando Caldeira, realizaram uma visita às instalações da Worten (Continente) em Águeda.

Na companhia da docente Mirtha Santos, os alunos fizeram um trabalho de pesquisa sobre a eficiência energética de alguns eletrodomésticos, nomeadamente, máquinas de lavar e de secar roupa, máquinas de lavar louça, combinados, arcas frigoríficas e fornos elétricos, consultando as respetivas etiquetas energéticas.

O grupo pesquisou, para cada tipo de eletrodoméstico, a classe energética, o consumo em cada ciclo (nas máquinas de secar roupa) ou por ano, o rendimento, a capacidade, o ruído e o respetivo preço.

Os Jovens Repórteres conseguiram apurar que os eletrodomésticos de classe energética A, são mais eficientes que os da classe D, tendo sido a classe energética mais baixa aí encontrada. Dentro da classe A, os  A+++são mais eficientes que os A+.

Também conseguiram apurar que os eletrodomésticos de classe de eficiência mais alta consomem menos em termos energéticos do que os de classe de eficiência mais baixa, sendo também os que fazem menos ruido. Contudo, os eletrodomésticos mais eficientes energeticamente, são também os mais caros.

Em entrevista a uma das funcionárias da Worten, os alunos foram informados que atualmente as pessoas procuram comprar um eletrodoméstico mais eficiente sob o ponto de vista energético, mas nem sempre optam por ele devido ao elevado preço face a outros mais baratos. No entanto, a diferença de preço é compensada a médio prazo na fatura da eletricidade.

Também ficaram a conhecer que já vão aparecendo outros eletrodomésticos com etiqueta energética, nomeadamente os televisores.

Os Jovens Repórteres para o Ambiente são da opinião que os consumidores poderão ter uma atitude mais “Eco”, se optarem, sempre que puderem, por um eletrodoméstico mais eficiente energeticamente, sendo assim, mais sustentável para o ambiente.


OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Jovens Repórteres Para o Ambiente e a Eficiência Energética

DSCF6216

Este ano os Jovens Repórteres Para o Ambiente da Escola E.B 2,3 Fernando Caldeira estão de volta, com um novo projeto – “Eficiência Energética na Escola E.B 2,3 Fernando Caldeira”.

Os alunos frequentam o 8º ano da turma B e demonstraram grande interesse no tema da eficiência energética e em alertar a comunidade educativa da sua importância.

A eficiência energética é a utilização da energia de forma racional, evitando o seu desperdício.

As escolas são o universo de formação integral por excelência.

Enquanto comunidades humanas, representam uma fração não desprezável do consumo energético, pois toda a comunidade educativa (alunos, pessoal docente e não docente) passa nesses espaços a maior parte do dia.

A população escolar constitui, portanto, uma grande parte da população consumidora de energia.

Interessa assim, motivar a comunidade educativa – alunos, pais, pessoal docente e não docente – para a importância da eficiência energética.

O projeto debruça-se na sua pegada ecológica, desenvolvendo atividades de sensibilização, estuda o comportamento energético da escola e acompanha a sua evolução, recolhendo dados de consumo e fazendo o respetivo tratamento estatístico.

O objectivo é reduzir os consumos da escola, otimizar o seu desempenho energético para permitir uma poupança real de custos.

Sem prejuízo das aprendizagens dos alunos, pretende-se alterar positivamente alguns comportamentos e utilizar equipamentos das TIC de forma mais eficiente sob o ponto de vista energético, no contexto da gestão avançada do moderno edifício.

Professora    Mirtha Santos

Ano letivo 2012/2013

Apresentação do projecto no Eco dia

Os Jovens Repórteres deram a conhecer à comunidade escolar o projecto “A Pateira de Fermentelos”, no âmbito dos Jovens  Repórteres  para  o Ambiente, no dia 15 de Junho. Esta apresentação realizou-se no laboratório de Físico-Química, onde tiveram a oportunidade de expor todos os trabalhos desenvolvidos, passaram um vídeo com as várias actividades em que participaram e, simultaneamente, realizaram algumas experiências envolvendo a água. A sua participação no Eco dia foi reveladora de grande interesse, empenho e responsabilidade.

Click to play this Smilebox newsletter

 Balanço do projecto

Estes jovens do 9ºB, da Escola EB 2/3 Fernando Caldeira, demonstraram, ao longo da execução do projecto, uma curiosidade notória em conhecer com mais pormenor a Pateira de Fermentelos. Os principais objectivos estabelecidos foram: estudar o ecossistema local; conhecer, divulgar e preservar o ecossistema aquático da Pateira; enraizar gradual e conscientemente, nestes jovens, uma autêntica “cultura ambiental”.

Este projecto foi dinamizado nas aulas de Área de Projecto, em articulação com a disciplina de Ciências Físico-Químicas. Incluiu a investigação de alguns aspectos, como a localização geográfica da Pateira de Fermentelos, a sua biodiversidade, a qualidade das suas águas, as actividades lúdicas e de lazer que aí se praticam, bem como os futuros projectos que a Câmara Municipal de Águeda pretende realizar.

Os alunos tiveram oportunidade de entrevistar uma Bióloga da CMA, Dr.ª Célia Laranjeira, que se prontificou desde sempre em colaborar com o projecto; visitaram o jornal Região de Águeda, onde relembraram cuidados a ter na elaboração de uma notícia e de uma reportagem, com a orientação do Director-adjunto, Augusto Semedo; participaram também numa saída de campo à Pateira de Fermentelos para in loco terem a oportunidade de contactar com algumas espécies relacionadas com a flora e observar alguma da sua fauna; recolheram amostras de água e realizaram alguns testes químicos, aferindo da sua qualidade para fins piscícolas.

Com este projecto, os Jovens Repórteres tomaram consciência que todo este património natural deve ser preservado e que, para isso, todos devem ter uma atitude responsável, pois todos precisam do ambiente e ele de nós.

É de salientar, que nada disto seria possível sem o apoio dos nossos parceiros: o director da escola, professor Carlos Coelho, o director-adjunto do jornal “Região de Águeda”, Augusto Semedo, a bióloga da Câmara Municipal de Águeda, Célia Laranjeira, os professores da turma, Carla Figueiredo, Américo Gonçalves e Eugénia Neves e os professores responsáveis pelo projecto: Mirtha Santos (coordenadora), António José Coimbra e Margarida Guerra.

Os Jovens Repórteres esperam que este projecto continue no próximo ano lectivo, dando oportunidade a outros jovens de verem a natureza com a sensibilidade e lealdade que ela merece.

Mirtha Santos

Anúncios